Versículo do Momento

LEIA A BÍBLIA

janeiro 16, 2018

JESUS, O ÚNICO SALVADOR!


JESUS, O ÚNICO SALVADOR!
Pastor Flávio da Cunha Guimarães

O nosso Texto está em (Jo. 4:39-42).


“E muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher, que testificou: Disse-me tudo quanto tenho feito. Indo, pois, ter com ele os samaritanos, rogaram-lhe que ficasse com eles; e ficou ali dois dias. E muitos mais creram nele, por causa da sua palavra. E diziam à mulher: Já não é pelo teu dito que nós cremos; porque nós mesmos o temos ouvido, e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo”. São no mínimo, 10 textos que falam e que apontam Jesus Cristo como o Único Salvador do Mundo. Por outro lado, não há nenhum texto bíblico que aponta outro meio de salvação, a não ser por Jesus Cristo. Diante de tantas evidências e provas bíblicas, ficamos a pesar naqueles grupos religiosos que insistem em ensinar sobre a salvação por outros meios.

1 – A SALVAÇÃO POR MEIO DE RELIGIÃO E IGREJA. Dizem algumas religiões e seitas, que só são salvos os que fazem parte da igreja e tem que ser da igreja deles. Tal pensamento e afirmação, contraria os ensinamentos bíblicos como o que está escrito em (Mateus 1:21; João 14:6; Atos 4:12 e João 4:42). Jesus Cristo se apresenta como sendo o único nome que pode salvar. O nome que Atos 4:12, se refere, é o nome do Senhor Jesus Cristo. Por muito grande que seja a religião ou a igreja, afamada, respeitada, dada a caridade e as obras sociais, nenhuma instituição tem o poder de salvar. Nenhuma instituição morreu em uma cruz, só Jesus. Isso significa que qualquer outro nome, ainda que bíblico, canonizado por Igreja, qualquer procedimento ou atitude, mesmo que a pessoa fora muito justa e caridosa, não tem o poder de salvar.

2 – A SALVAÇÃO ATRAVÉS DA JUSTIÇA PRÓPRIA. Encontramos muitas pessoas, mas muitas mesmos dizem que não mataram, não roubaram, não traíram, não mentiram, não cobiçaram, não deixaram de pagar as suas contas, por isso são melhores do que os outros, daí tem o direito de serem salvos. Assim pensam por que desconhecem o que Deus diz através do profeta (Is. 64:6) “Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades como um vento nos arrebatam”. Deus está dizendo que a nossa justiça de nada adianta para a salvação. Se ser justo salvasse, Jesus não precisaria morrer em uma cruz de maneira violento e humilhante para nos salvar! Ninguém é justo o suficiente, puro e incontaminável a ponto de não pecar e não precisar do perdão do Senhor. Ninguém é salvo por meio da justiça própria.

3 – A SALVAÇÃO ATRAVÉS DA CARIDADE. Os que assim creem, é porque desconhecem o ensinamento bíblico sobre a caridade. Em (Lv. 19:9-10), diz: “Quando também fizerdes a colheita da vossa terra, o canto do teu campo não segarás totalmente, nem as espigas caídas colherás da tua sega. Semelhantemente não rabiscarás a tua vinha, nem colherás os bagos caídos da tua vinha; deixá-los-ás ao pobre e ao estrangeiro. Eu sou o Senhor vosso Deus”. Desconhecem o ensinamento bíblico sobre a caridade, em (Deut. 15:10) onde diz: “Livremente lhe darás, e que o teu coração não seja maligno, quando lhe deres; pois por esta causa te abençoará o Senhor teu Deus em toda a tua obra, e em tudo o que puseres a tua mão”. Bem como (Deut. 24:19-21) que diz: “Quando no teu campo colheres a tua colheita, e esqueceres um molho no campo, não tornarás a tomá-lo; para o estrangeiro, para o órfão, e para a viúva será; para que o Senhor teu Deus te abençoe em toda a obra das tuas mãos. Quando sacudires a tua oliveira, não voltarás para colher o fruto dos ramos; para o estrangeiro, para o órfão, e para a viúva será. Quando vindimares a tua vinha, não voltarás para rebuscá-la; para o estrangeiro, para o órfão, e para a viúva será”. Quem ensina salvação pela caridade é porque desconhece o ensinamento bíblico sobre a caridade que está no Novo Testamento, em (Efésios 2:8-10), quando diz: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”. A caridade é um dever moral e não um privilégio para receber a bênção da salvação. A salvação é presente de Deus e presente se recebe diretamente de Deus em Jesus Cristo, ou se recusa receber e não tem a salvação. Salvação não é um bem manipulável, de negociação e de compra. Se é presente de Deus não precisamos fazer caridade para recebê-lo. Quem faz caridade para ser salvo, demonstra que ama a si mesmo e não a pessoa necessitada da salvação ou da caridade. Quem faz caridade para ser salvo(a) não está preocupado(a) com a salvação de quem precisa da caridade, mas com a salvação dele(a) próprio(a) e não com a salvação do outro. Isso também é caracterizado como egoísmo.

4 – A SALVAÇÃO ATRAVÉS DA REENCARNAÇÃO. Os que creem desta forma desconhecem o texto bíblico de (Hebreus 9:26-28) que diz: “De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo. E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação”. O destaque está no (V. 27), que ao homem está ordenado a morrer uma só vez. Em morrendo aguarda o juízo final. A bíblia não ensina morrer e reencarnar; morrer e nascer de novo em outro corpo. Ela é clara ao dizer que ao morrer, o que vem depois é o juízo final. Jesus quando morreu crucificado, Ele não reencarnou, mas ressuscitou dos mortos em seu Próprio corpo e não em outro corpo, (Mateus 28: 5-6). Pense nisso!

5 – A SALVAÇÃO ATRAVÉS DOS SACRAMENTOS. Os que creem nesses ensinamentos DESCONHECEM o que a Bíblia fala sobre a salvação em Jesus Cristo. Nós poderíamos citar dezenas de textos que falam da salvação somente em Jesus Cristo. Todavia, citaremos apenas alguns, tais como: (Luc. 2:11) em que “o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor”. Em (Luc. 19:9) o Próprio Senhor Jesus diz: “E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão”. Ele se referia a sua presença na casa de Zaqueu. Ele estava falando de Si Mesmo, pois estava presente. Em (At. 13:23) diz: “Da descendência deste, conforme a promessa, levantou Deus a Jesus para Salvador de Israel” e de toda a humanidade.

Diante das evidências bíblicas apresentadas, se as pessoas ainda creem; ainda entendem que a salvação está em fazer parte de uma igreja; na justiça própria; na prática da caridade; na reencarnação; nos sacramentos, para mim demonstra uma das duas hipóteses: 1ª) Total desconhecimento do que a Bíblia ensina sobre a salvação em Jesus Cristo e uma profunda incredulidade no que a Bíblia diz sobre o assunto; Ou, 2ª) Tem conhecimento da verdade, mas ignora-a por completo para não dizer a verdade aos fiéis, por medo de perdê-los. Todavia, há uma verdade a ser dita aqui. O não conhecer a verdade não faz ninguém inocente no juízo final, pois o (Sal. 19:1) diz: “Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos”, bem como (Rom. 1:20) que é claríssimo: “Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis”. Portanto, busque a verdade bíblica para se livrar do juízo final. O que o Senhor Jesus Cristo exorta em (Jo. 5:39): “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam”. Assuma este propósito, em sua vida, enquanto há tempo, porque no momento em que morremos selamos o nosso destino final; se salvo, salvo eternamente e se perdido, perdido eternamente.

A razão de nosso tema: JESUS, O ÚNICO SALVADOR!

Queremos apresentar, textos bíblicos, de uma clareza tremenda, sobre Jesus Cristo, O único que pode salvar, porque foi o único que morreu em uma cruz com esse propósito, (Romanos 5:6,8; I Coríntios 15:3 e Gálatas 2:20).

Em Mateus 1:21 o anjo de Deus anunciou o nascimento de Jesus Cristo como salvador: “E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”. Já em Lucas 2:11, o anjo do Senhor anunciou aos pastores o nascimento do salvador da seguinte maneiras: “Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor”. Em Atos 4:12, os Apóstolos se referindo a Jesus Cristo como salvador, eles disseram: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”. Está se referindo ao nome de quem? Ao nome de Jesus Cristo, lógico e evidente. O Próprio Jesus Cristo instruindo a Zaqueu disse: “Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”, Lucas 19:10. Aqui há um detalhe importante quanto a salvação: “buscar e salvar o que se havia perdido”. Só será salvo aqueles que se acham perdidos sem salvação. Quem não se acha perdido e sem salvação, não sente necessidade dela. E se não sente necessidade dela, não a buscará! Diante das profecias e da mulher que encontrara Jesus Cristo, os samaritanos ao verem Jesus Cristo, afirmaram que Ele era: “E diziam à mulher: Já não é pelo teu dito que nós cremos; porque nós mesmos o temos ouvido, e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo”, João 4:42. E em Atos 5:31 se diz: “Deus com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados”. Atos 13:23: “Da descendência deste, conforme a promessa, levantou Deus a Jesus para Salvador de Israel”. Filipenses 3:20: “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”. I João 4:14: “E vimos, e testificamos que o Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo”. E Judas 25: “Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém”.

Para encerrar, abordaremos Efésios 2:8-9 que diz: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”. A palavra dom, no grego, significa presente. Portanto, tanto o Senhor Jesus e bem como a salvação, são presentes de Deus a nós. Com um destaque: Presente só é nosso quando aceitamo-lo, se não aceitarmos, ainda que a pessoa queira nos presentear, não teremos o presente. Quanto a salvação não é diferente. Só a teremos se aceitarmos a Jesus Cristo como o nosso salvador. Veja João 1:12: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome”. Poderíamos falar da remissão, do resgate, de Jesus ter nos comprado pelo seu sangue, mas isso fica como desafio para você descobrir. O Senhor os abençoem e que quem não encontrou a salvação, possam encontrar em Cristo Jesus, nosso Senhor e único salvador.

Bibliografia:

1 - Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

2 - Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. 1978, São Paulo.

3 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

4 - Bíblia de Promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. RC. 2ª Edição, Co-edição JUERP e King's Cross Publicações, 2009.

5 - Marcelo Ribeiro de Oliveira. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere, marcelo@blasterbit.com

janeiro 15, 2018

DEUS USA TAMBÉM OS DUVIDOSOS


DEUS USA TAMBÉM OS DUVIDOSOS
Juízes 6:14

1 – O Senhor Deus usa quem Ele quer;

2 – Quando Ele quer;

3 – Para o propósito e finalidade que Ele quer; e,

4 – Como, do jeito e da forma que Ele quer.

E nós nada temos a ver com isso, não é de nossa conta, porque o Senhor é o Senhor e não tem que dar satisfação a ninguém. Ele e seus atos são soberanos e ponto final!

Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=imagem+de+pessoa+trabalhando

Acessada em: 15/01/2018

O Senhor usa os duvidosos assumidos, é o caso de Gideão. Usa os que acham que não são duvidosos, mas são e não sabem que são, é o caso de Pedro, discípulo de Cristo. E usa os que acham que são duvidosos, mas não são. Você e eu estamos em qual grupo dos duvidosos?

Quando o anjo do Senhor apareceu para Gideão, saudando-o e elogiando-o, Juízes 6:12 – “O Senhor é contigo, varão valoroso”, Gideão expressou claramente a sua dúvida quanto a companhia e a presença de Deus em sua vida e na vida de seu povo, bem como o agir do Senhor em favor deles e se o Senhor estava realmente com ele, Juiz. 6:13. Essa é a dúvida de muita gente, ainda hoje, principalmente quando estão em sofrimento, com problemas e tudo dando errado em suas vidas financeiras, amorosa e saúde física. Para Gideão, o Deus que agira de maneira maravilhosa, séculos passados, desde a saída do Egito até anos anteriores, realizando feitos extraordinários, Esse Deus já estava velho, aposentado, caduco, cansado e não agia mais. Gideão pensava e partia do pressuposto que se Deus estivesse na companhia deles, presente e ainda agia em favor deles, o povo e ele, não estariam escravos há sete anos, pobre e passando fome como estavam. Se estavam é porque o Senhor havia abandonado tanto ele como o povo. Quantos que duvidam, não do agir de Deus, mas de sua existência e tentam justificar a sua incredulidade dizendo que se Deus existisse, não haveria guerra, violência, injustiça e fome no mundo!

Gideão estava total e redondamente enganado, bem como todos os que pensam que Deus está velho, aposentado, caduco, cansado e que não pode fazer nada pela humanidade. A aparente inércia de Jeová, o aparente silêncio do Senhor e o não agir aparente de Deus, não queria e não quer dizer que o Senhor não estava e não esteja dirigindo e governando o universo e tudo o que nela há. Ele está ativo e é o que lemos em, Salmo 121:4: o Senhor não dorme e em João 5:17 diz: que Ele trabalha até agora. A aparente inércia de Deus, não era porque o Senhor havia mudado de personalidade, de caráter, de pensamento, porque estava velho, aposentado, ou porque se tornou impotente, não! Mas por causa dos pecados do povo, o não conhecer o Senhor, Juízes 2:10. Por causa da indiferença do povo para com os ensinamentos da Palavra do Senhor e por causa da idolatria, Juízes 6:26-30. A indiferença do povo, para com o Senhor Deus, não acabara, nem mesmo quando a fome e a pobreza chegaram, ainda que escondesse a produção, Juízes 6:2,4,6, 30-32. Um povo que clamava por Deus e por Baal. Orava a Deus e ao Diabo. O que não é diferente de nossos dias. O povo hoje continua clamando ao Deus verdadeiro e aos deus falsos, de pedra, de pau, de gesso e de lata. Todo aquele sofrimento do povo diante da escravidão como o sofrimentos de nosso dias poderia ser evitado se o povo não agisse de maneira indiferente para com Deus. Quantos sofrimentos poderíamos evitar!

O diálogo do anjo do Senhor com Gideão continuou no capítulo seis até pôr a dúvida a prova, Juízes 6:37,39. Gideão toma a palavra para dizer: Olha Senhor, se vai libertar o povo através de mim e usando-me, quero ter certeza disso: Porei um véu de lã na eira, se só ele estiver molhado pela manhã, Juízes 6:37 saberei que o Senhor está comido nessa empreitada. E Deus assim atendeu a Gideão. Mas Gideão não se deu por satisfeito, queria mais uma prova: Colocarei o véu outra vez e se molhar só o véu e tudo em volta estiver seco, saberei que o Senhor está nesse negócio, 6:39, e assim aconteceu.

Aqui vemos a paciência de Deus para com um homem duvidoso, mas sincero em suas dúvidas. Diferente de muitas pessoas de hoje que nem nas suas dúvidas são sinceras! E assim o Senhor o fez, Juízes 6:40! Como Deus é paciente! Como Jeová tem sido paciente para comigo! E não tem sido para com você? Como Deus entende a nossa falta de fé, incredulidade, dúvidas, incertezas e falhas quando somos sinceros para com Ele! O que nem sempre somos pacientes para com as falhas das pessoas!

Deus usou um homem cheio de dúvidas quando elas foram colocadas diante de Deus e foram sanadas. Não importa as nossas dúvidas, desde que sejam sinceras! O Senhor, Deus, precisa e quer usar você e eu, em sua obra, e em seu Reino para resgatar vidas que estão escravizadas por Satanás em sua incredulidade, dúvidas e em cegueira espiritual. Deus só não usa os covardes e medrosos, mandou Gideão dispensá-los, Juízes 7:3, porque não estão disponíveis, porque amarelam na hora “H”, debandam e pulam fora do barco na hora do arrocho. Não usa os medrosos e covardes porque não são capazes de enfrentarem a si mesmos! Porque os medrosos e covardes não enfrentam seus próprios medos e covardia. Em Apocalipse 21:8, texto do Novo Testamento que fala de covarde, ali o grego para tímido é covarde, e por ser covarde não entrará no Reino de Deus ou no Céu.

Voltando ao tema:

1 – DEUS USA QUEM ELE QUER.

Ele usou a Balaão, profeta que não era israelita, para profetizar bênçãos quando foi solicitado amaldiçoar o povo de Deus, Num. 23:8,11,20. Usou até a mula ou jumenta de Balaão para livrá-lo da morte, Num. 22:33. Usou o rei Ciro e chamou-o de meu Pastor e de meu ungido, a quem não era israelita para libertar o povo de Deus escravo, Isaías 44:28 e 45:1. Deus quer usar você, eu, nós no ano de 2018 para sermos bênçãos na vida de muitas pessoas que podemos alcançar para Cristo, o Senhor. Foi o que aconteceu com Gideão, ele foi bênção para os cativos de seus dias. Deus não pediu para Gideão ir, o Senhor mandou e ordenou ir, Juízes 6:14. A ideia no hebraico é: Vai e continua indo até findar a tarefa. Como a tarefa espiritual não termina, temos que continuar indo até cumprir a jornada enquanto aqui vivemos.

O nosso problema é que nem sempre terminamos ou findamos as tarefas e os afazeres no Reino do Senhor! As vezes nem começamos a fazer! Como terminar o que não se começou! Começamos no casamento e pouco tempo depois desistimos dele! Começamos a trabalhar e meses depois abandonamos o trabalho! Começamos ir à Igreja e meses depois abandonamos à Igreja! Se dispomos a ler a Bíblia e poucos capítulos lidos paramos de ler! Fazemos nossos votos pessoais ao Senhor e não cumprieosm nenhum sequer! Muitos não sabem qual é a sua tarefa e seus afazeres no Reino de Deus! Têm aqueles que pensam cegamente que as tarefas e afazeres no Reino do Senhor são aquelas que a igreja delega, elege e designa em Assembleia. Essas tarefas são apenas parte e as menores das tarefas. O que as igrejas que elegem e delegam, são tarefas importantes, sim! No entanto, nem sempre são as mais importantes e não podem substituir as delegadas pelo o Senhor Deus. Muitos usam as tarefas que as Igrejas delegam como desculpas para não fazerem a obra do Senhor. Têm igrejas que distribui tarefas que não passam de atividades sociais e recreações!

Precisamos entender que o mais importante e que precisamos fazer com urgência: É cooperarmos para a salvação dos perdidos sem cristo e sem salvação; cooperarmos para o crescimento e implantação do Reino do Senhor na terra e cooperarmos para a edificação de vidas em Cristo Jesus nosso Senhor e para a glória de Deus Pai.

Em se falando de funções e tarefas, Deus já delegou, incumbiu e elegeu, você e eu, I Pedro 2:9, para as funções dentro de seu Reino: Evangelizar, Ensinar, Ganhar vidas para o Senhor Jesus, Adorar, Sustentar financeiramente e em oração a obra de Deus e Cuidar dos necessitados, viúvas, órfãos e estrangeiros. Essas atribuições, funções, afazeres e tarefas são universais, são para todos os salvos, independentemente. Ao salvar, o Senhor Jesus Cristo já chamou, elegeu, ungiu e enviou. Estamos esperando o que mais? Quem é mais importante para eleger alguém: As igrejas de Deus, se é que todas as igrejas são de Deus, pois temos nossas dúvidas se todos as igreja são de Deus! Ou o Senhor das igrejas? Entenda uma coisa: Deus já elegeu eu, você, nós, se é que somos salvos, para as funções dentro de seu Reino celestial. Então, mãos à obra! Estamos esperando o que? Vir a escravidão? A fome? O domínio dos inimigos para fazermos a obra do Senhor? Paremos de reclamar, de procrastinar, de dar desculpas e entremos em ação.

2 – DEUS USA QUANDO ELE QUER.

Ele usará no dia a dia, no dia da adversidade, principalmente nos momentos de sofrimentos, de dor, tristeza e de calamidades. Quando as trevas e o mal dominam, quando há desvio e o pecado predominam. Gideão foi chamado pelo o Senhor quando o povo passava por todos esses sofrimentos e desvios, Juízes 6:1-10. O povo estava afastado dos caminhos e da presença do Senhor Deus, Juízes 6:1. Mas esse não é o problema do povo brasileiro. Não está afastado de Deus. É implicância dos evangélicos. O povo é santinho para com Deus. A prova dessa santidade é que todos os brasileiros estão andando com uma coroa para que todos vejam a nossa santidade. Esse olhar dos evangélicos de que o povo brasileiro está aborrecendo ao Senhor, vivendo uma vida depravada e em pecados, é porque os crentes têm uma visão distorcida e tacanha da sociedade, somos alienados. Tadinho de nosso povo, é tão injustiçado! Será? É só fazermos um exame das Escrituras e veremos o quanto, não só o povo brasileiro, mas a população mundial está distante dos caminhos do Senhor Deus! Por ventura os pecados do povo de Israel, citados acima, no período dos juízes, não são os principais do povo brasileiro que desses vem os demais? O sofrimento do povo de Israel não é o de nosso povo também? Fome, pobreza, miséria, analfabetismo, violência, injustiça e escravidão econômica por causa dos impostos altíssimos, exploração de mão de obra e políticos imorais e corruptos assaltando o país?

Quando Deus chamou Gideão para libertar os israelitas da escravidão, eles já estavam debaixo de uma servis de sete anos, Juízes 6:1! Plantavam e não colhiam! O que colhiam não ficava estocado, porque os inimigos vinham em multidão, Juízes 6:5, e levava tudo, Juízes 6:4. Daí o empobrecimento do povo e a fome!

CLAMOR

>br> Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?newwindow=1&safe=active&biw=1366&bih=637&tbm=isch&sa=

Acessado em: 15/01/2018

O povo clamou por socorro, Juízes 6:6, e Deus ouviu e enviou o socorro. O Senhor Deus é misericordioso, mas antes de trazer o alívio do sofrimento, Ele esfregou na cara dos israelitas os seus pecados, o não querer ouvir a voz do Senhor, Juízes 6:10; o pecado da desobediência, Juízes 2:2; a idolatria, Juízes 2:3,11-17 e 6:28; o não conhecer o Senhor, Juízes 2:10; casamentos reprovados por Javé, Juízes 3:6 e a gangorra espiritual em que o povo viva entre Deus e Baal, Juízes 2:18-19. Não seria esta a situação do povo brasileiro no presente momento? Uma vida espiritual cheia de altos e baixos para com Deus e a idolatria enraizada na cultura brasileira?

3 – DEUS USA PARA O PROPÓSITO QUE ELE QUER.

Não é o homem quem determina como ele será usado, mas o Senhor Deus. Todavia, vemos algumas igrejas e líderes, dando ordem e cobrando para Deus, o Senhor, o que eles querem de Deus. Nesse caso os papeis estão invertidos. O propósito principal para o Senhor usar Gideão, não era libertar o seu povo da escravidão do trabalho forçado, mas a libertação da escravidão religiosa, espiritual, do pecado e da cegueira total em que vivia. As demais escravidões decorriam destas. O povo não via as maravilhas que o Senhor Deus fizera aos antepassados. Isso era falha do povo que não se interessava em saber, ou falha dos antepassados que não ensinaram as suas gerações, Juízes 2:10? Ensinamos as gerações que estão em nosso alcance? Estamos ensinando as gerações do futuro? Se não estamos ensinando, temos propósitos de ensinar? Se não ensinamos e não temos propósitos de ensinar, estamos falhando e pecando por desobediência a mandamentos do Senhor, Deut. 6:7; 11:19,22-23; Prov. 22:6 e Ef. 6:4. Se é pecado, Deus cobrará de nós como cobrou das gerações passadas. A história cobrará de nós como cobrou do sacerdote Eli e do rei Davi, I Sam. 2:12-17,22-25,29-30 e II Reis do capítulo 13:1 a 19:10. O rei Davi foi um grande rei e um péssimo pai. Os filhos deles foram desastrosos porque os pais falharam nessa tarefa. Os pais falharam na principal missão, educar e ensinar os filhos. O que não podemos falhar, pois os resultados serão os mesmos que foram desses dois homens de Deus. Se os pais falharam na educação e nos ensinamentos para com você, que é filho, daqui para frente eu não quero que você continue falhando. Já você que não falhou, não erre mais. Quando se trata de família, nunca é tarde demais para consertar os erros cometidos. Precisamos fazer isso. Vamos fazer esse propósito para 2018?

4 – DEUS USA COMO E DO JEITO QUE ELE QUER.

Não é do jeito que queremos, é do jeito DELE. Gideão convocar os guerreiros para a luta e libertação da escravidão, era do jeito do homem; todavia, escolher quem ia a guerra era do jeito do Senhor Deus, Juízes 7:3. Gideão não saberia quem eram os covardes e medrosos, mas Deus sim. Daí que Deus mandou dispensar os covardes e medrosos. Os covardes e medrosos põem os demais em risco e a perderem-se. Trezentos homens corajosos foram suficientes para o Senhor trazer livramento aos cativos.

Concluindo:

Uma das maiores dificuldades do relacionamento entre o ser humano e o Senhor Deus, é que pelo fato dos homens negociarem com os homens, levarem vantagens para com os homens e manipularem os homens, esses mesmos homens acham que podem negociar, levarem vantagem e manipularem a Deus; e até fazem tentativas nesse sentido usando de artifícios como fazer caridade, ser religioso e reivindicar o direito de filhos de Deus para ordenar ao Deus-Pai atender as suas necessidades. Esquecendo, porém, que o senhor é o SENHOR Ele é quem está acima de tudo e de todos, e não o homem. Este não passa de criatura carente da graça protetora do Senhor Deus. Como Deus usará quem não quer ser usado? Quem Resiste a convocação do Senhor! Como ser bênção quem não persevera, desiste diante da primeira dificuldade! Deixemos ser moldados pelo o Senhor para sermos usados pelo Deus Soberano!

"Então o SENHOR olhou para ele, e disse: Vai nesta tua força, e livrarás a Israel das mãos dos midianitas; porventura não te enviei eu?", Juízes 6:14


Bibliografia:

1 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

2 - HENRY, Matthew. Comentário de Êxodo 2:1-10. E-Sword-the Sword of the LORD withan electronic edge, Tradução do Google.

3 - JUNIOR, Luder Whitlock. Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

4 - MESQUITA, Antônio Neves de. Estudo no Livro de Josué, Juízes e Rute. 1ª Edição. Rio de Janeiro. Editora JUERP, 1973, 244 P.

5 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2014.

6 - SHEDD, Russell Philip. Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. São Paulo, 1978, A T 929 p.

novembro 23, 2017

NÃO ESTOU SATISFEITO COM A BANDIDAGEM EM NOSSO PAÍS! VOCÊ ESTÁ?

NÃO ESTOU SATISFEITO COM A BANDIDAGEM EM NOSSO PAÍS! VOCÊ ESTÁ?
Autor: Pr Flávio da Cunha Guimarães

Sejamos honestos e sinceros para conosco mesmos. Estamos nós satisfeitos com as leis frouxas de nosso país que abrem brechas para bandidos e políticos se safarem? Leis que dão privilégios para os bandidos e políticos enquanto gente do bem fica refém deles? Eu não Estou!


Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagem+de+pessoas+descontentes&newwindow=1&safe=

Acessado em: 23/11/2017

Estamos nós satisfeitos com a bandidagem mandando nesse país, estabelecendo as suas próprias leis dentro de comunidades, espalhando terror, pavor e medo, o povo fica calado e coagido porque corre o risco de vida? Eu não estou!

Estamos nós satisfeitos com a Justiça que condena uma mulher a 4 anos de reclusão porque roubou um pote de margarina, enquanto os que desviam milhões e bilhões de reais estão soltos e tem juízes do S T F (Supremo Tribunal Federal) soltando? Eu não Estou!

Você Está satisfeito com tanta impunidade, bandidos que são soltos antes de cumprirem as penas, isso quando são presos? Eu não estou!

Chegamos ao ponto que não dá para suportar mais tanta imoralidade dentro das instituições e empresas que envolvem os governos federal, estadual e municipal, nas câmaras, congresso Nacional e na justiça em todas as instâncias! Tanta corrupção de todas as partes e escalões! Tanta banalidade para com a vida humana! Chegamos no limite que não dá mais para suportar tanta violência e de maneira brutal! Está na hora de o povo brasileiro colocar um basta em toda essa baderna! Dizer: Chega de desmando! De incompetência de se submeter a comando de bandidos!

Chega, também, de os pais fazerem de conta que educam os filhos! Está na hora dos pais começarem colocar limites para os filhos, disciplinar e corrigir o comportamento errado e estapafúrdio se o mesmo persistir. Chega de tanto absurdo! Pirralhos que acabaram de sair das fraldas pintando, bordando, mandando e desmandando dentro das casas dos pais e comendo às custas deles. E os pais acham que a desobediência, a rebeldia é assim mesmo, que tudo que os filhos fazem de errado é normal, sem saberem que já foi feita uma lavagem cerebral na sociedade brasileira e por consequência já atingiu os filhos!

Pais passivos diante das atitudes agressivas dos filhos. Filhos que desde pequenos batem no rosto dos pais, chutam-nos, mordem-nos, xingam-nos e gritam para com os pais. Faltam com o respeito para com os idosos em geral, avós e tios e os pais não corrigem os filhos!Acorda pais enquanto há tempo!

Pais que não dizem "NÃO" para os filhos porque a maioria não tem autoridade e exemplo de vida para dizer não; mas os filhos dizem não para os pais com muita facilidade e cara de pau. Pais que veem os filhos fazendo artes, mexendo em coisas e quebrando-as nas casas dos outros, dizem não para os filhos e os mesmos continuam como se nada fosse dito. Os pais, neste caso, dizem não por dizer, os filhos continuam fazendo as mesmas coisas, os pais não tomam atitude e nem providência! Se é não, é não e pronto! Tem que fazer o seu não prevalecer, mas não o fazem! Reajam pais! Eduquem seus filhos antes que os bandidos eduquem em seu lugar! Adotem seus filhos antes que os traficantes os adotem! Instruam os seus filhos antes que algum cabeça de vento queira instruírem os seus filhos em seu lugar!


Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagem+de+filhos+rebeldes&newwindow=1&safe=active&source=

Acessado em: 23/11/2017

Filhos que crescem não respeitando os pais, não respeitarão as autoridades, desde a escola e juízes, até a autoridade de Deus. Filhos esses que terão grande tendência para serem marginais, mau caráter, violentos e quando os pais, as autoridades ou mesmo a sociedade forem colocar limites para eles, ficarão revoltados contra os pais, contra a sociedade, contra si mesmos, contra a família e contra Deus.

Chega de omissão dos pais, das autoridades deste país e dos líderes religiosos também! Está na hora de corrigir o que está errado, nunca será tarde demais enquanto se tem vida! Está na hora de denunciar os crimes, os criminosos e condená-los, seja quem for! Está na hora de se criar leis decentes neste país e que puna de verdade os criminosos inveterados! Está na hora de fechar a fábrica de bandidos, que são os filhos sem estrutura familiar, que crescem sem amor, sem carinho, sem atenção, sem disciplina, sem a correção necessária com amor e sem estudos! Está na hora de mudar a cultura, a maneira de se pensar neste país! Está na horta de mudar os políticos e a politicagem neste país! Chega de mentiras dos políticos! A começar por nós! Pense, reflita, analise e tire as suas conclusões sobre o que compartilhamos. Não custa fazermos nossa parte! Se gostou, recomende aos familiares e amigos a leitura.

"Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria", (Malaquias 4:2).

novembro 17, 2017

AS RIQUEZAS DO CÉU


AS RIQUEZAS DO CÉU
Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagem+para+riqueza&newwindow=1&safe=active&source=

Acessado em: 17/11/2017

Apocalipse 21:1-2, 10, 18-21

É pecado ter riquezas, possuir as coisas e bens materiais? Não! De jeito nenhum! As riquezas, as coisas e os bens materiais, desta vida, são maus e malignos? De jeito nenhum! Abraão era homem muito rico e era homem de Deus. O Apóstolo Paulo diz em I Tim. 4:4 o seguinte: “Porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças”. Se as riquezas foram criadas por Deus, logo, elas são boas. O que não é bom é o coração do homem que se deixa escravizar pelas riquezas. Quem faz as riquezas malignas é o homem quando a utiliza para ostentar sua condição e posição social, querendo se colocar superior, humilhando, desprezando e passando encima dos demais. É fazer das riquezas o seu deus.

Maus e malignos são os corações das pessoas que se deixam dominar e escravizarem pelas riquezas. Daí exploram, cometem injustiça, roubam, até matam, não amam, tem inveja, olho gordo, cobiça e trocam as pessoas pelos objetos. Os objetos passam a ter mais valor do que gente. Neste caso, não são as pessoas que possuem, tomam posses e dominam as coisas; mas as riquezas, os objetos e os bens materiais que possuem e dominam as pessoas. As pessoas são possuídas, dominadas e escravizadas pelas as riquezas. Quantas pessoas possuídas, também, pela cultura, artes, fanatismo e ideologias?

Vejamos o que o Apóstolo Paulo diz em I Tim. 6:10: “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores”. O texto confirma exatamente o que dissemos acima! O Apóstolo não está afirmando que o mal está em possuir as riquezas e nem nas riquezas em si, mas em amar de maneira exagerada e intensa as riquezas, o que deixará de glorificar ao Senhor para glorificar a si mesmo ou os próprios bens. Daí que vivem mal em muitos sentidos. Vivem doentes espiritual: Desviam da fé. Doentes do espirito e da mente porque ficam obcecados. Com dor de consciência. Gemendo ainda que ninguém ouça. Atribulados. Ansiosos. Com medo. Preocupados em não perderem as riquezas. Dormem mal. Não tem tempo para a família, para as pessoas e nem para Deus porque o deus deles são as riquezas, Mat. 6:19-21.

As riquezas quando usadas de maneira correta são bênçãos para as nossas vidas. Dão prazer. São parte da felicidade. Promovem bem-estar tanto para quem as tem como para aqueles que delas desfrutam conjuntamente e promovem o Reino do Senhor Jesus Cristo entre os homens.

Não precisamos viver aqui uma vida mal, desviados da fé, com dor de consciência, gemendo, atribulados, ansiosos, com medo de perder as riquezas, dormindo mal, não tendo tempo para a família e para Deus, atribulados, avarentos e escravos dos bens materiais, se o nosso alvo principal é o Senhor Jesus! Não! Não precisamos porque não levaremos nada de material para a vida além, nem mesmo o corpo físico, I Corintios 15:44,50. Não é preciso levar riquezas daqui. Não podemos levar bens materiais. E não é preciso, o Céu é rico! Aqueles que para lá irão desfrutarão de todas as riquezas do Céu que lá já tem. Assim como a atual Jerusalém faz parte e está inserida neste planeta chamado terra, a nova Jerusalém fará parte e estará inserida no Céu. A nova Jerusalém, onde os salvos irão habitar, a Bíblia a descreve como sendo rica. Lógico e evidente que as riquezas não são materiais de pedras preciosas reais. A descrição é para mostrar a superioridade, as riquezas da Jerusalém celestial em relação a Jerusalém terrestre, o que lemos em Apocalipse 21:10,18-21 e descreve.

Uma das riquezas que é encontrada na Jerusalém celestial e a faz superioridade a Jerusalém terrestre, é que a terrestre teve a sua origem com os homens, daí as mazelas em que lá tem: Violência, guerras, atentados a bombas, sequestros e assassinatos. Já a Jerusalém celestial e de além, ela tem origem em Deus, daí a paz eterna, a segurança e a vida eterna. Ela não é de baixo, mas descerá do Céu, isso demonstra ser ela superior bem como as suas riquezas. A Jerusalém celestial desafia qualquer descrição! A sua beleza não tem limite! É lindíssima! Será de rua de ouro puro e maciço. Uma cidade magnânima, isto é, que tem grandeza, generosa e nobre. É magnífica, isto é, ela é engrandecida, exaltada, glorificada, grandiosa, suntuosa, cheia de pompa, de esplendor, pura e limpa de qualquer poluição.

Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=imagens+da+glória+de+Deus&newwindow=1&safe=active&source=

Acessado em: 21/11/2017

A sua qualidade é muito, mas muito superior a Jerusalém terrestre. É perfeita em sua glória, porque ela tem contato direto com a glória de Deus Pai! O seu culto é perfeito! A vida nela é perfeita! A proteção é perfeita! A comunhão é perfeita! A segurança é perfeita! A justiça é perfeita! A qualidade de vida é perfeita! E lá todos serão tratados como verdadeiros cidadãos em pé de igualdade! Há abundância de tudo!De amor, de paz, de harmonia, de concórdia, de justiça, de luz e de glória. De glória sem fim! Não é preciso levar riquezas, se fosse possível levar, lá há riquezas em abundância! Rica na graça e na glória do Senhor Deus.

Devido à avareza e a ganância, há aqueles que trocam as riquezas eternas e melhores, pelas riquezas passageiras e piores, sem uma análise, sem escrúpulo e pudor, pensando que poderão desfrutar das riquezas do Céu, após a separação das riquezas da terra, mediante a morte, o que não é possível. Para desfrutar das riquezas do Céu, é preciso decidir, enquanto aqui vive; decidir viver uma vida dedicada ao Senhor Jesus. É preciso resolver a questão da salvação enquanto aqui vive. É preciso começar a caminhar com Jesus aqui, para continuar em sua presença lá. Ele deixou isso claro em João 14:6; I Timóteo 1:15 e Atos 2:21. Não existe riqueza maior e mais preciosa do que a salvação em si. Jesus perguntou ao jovem rico: “Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus”, Lucas 12:20-21. O convite é para que possamos nos preparar para desfrutarmos das riquezas do Céu. Vamos fazer isso!

Bibliografia
1 - BOYER, Orlando S. Pequena Enciclopédia Bíblica. 7ª Ed. Editora Vida, Miami Flórida USA, 665 p.

2 - JUNIOR, Luder Whitlock. Bíblia de Estudo de Genebra. São Paulo e Barueri. Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999, 1728 p.

3 - MOULTON, Harold K. Léxico Grego Analítico. Trad. Everton Aleva de Oliveira e Davi Miguel Manço. Ed. Cultura Cristã, 2007, São Paulo, 460 p.

4 - OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro de. Bíblia Sagrada Versão Digital 6.7 Freewere. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2014.

5 - SHEDD, Russell Philip. Bíblia Vida Nova. Traduzida por João Ferreira de Almeida. Editora: S. R. Edições Vida Nova, 2ª Ed. São Paulo, 1978, A T 929 p.

novembro 15, 2017

CASAMENTO DO PONTO DE VISTA DOS HOMENS E DE DEUS.


CASAMENTO DO PONTO DE VISTA DOS HOMENS E DE DEUS.

Autor: Pr Flávio da Cunha Guimarães

Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Imagem+para+casamentos&newwindow=1&safe=active&source=

Acessada em: 15/11/2017

Queremos discutir essa diferença do casamento do ponto de vista dos homens e do ponto de vista de Deus, por que nem sempre, as pessoas de um modo geral, percebem essa diferença. E por que não percebem? Por que estamos perdendo a capacidade de pensarmos no casamento do ponto de vista de Deus, e estamos pensando só do ponto de vista do homem ou da sociedade. Estamos diante de uma sociedade tão secularizada e condicionada a pensar como a mídia pensa, que nem sempre às pessoas veem diferença entre o casamento do ponto de vista dos homens e o casamento do ponto de vista de Deus. Mas para nós há essa diferença e é o que propomos apresentar neste post.

1 – O casamento do ponto de vista dos homens, não passa de um ritual social para dar satisfação à sociedade e não a Deus. Os envolvidos se preocupam com a formalidade. E o que é formalidade? O ato de pouca importância. Regras impostas pela sociedade e conveniências sociais. O ato que a pessoa tem que cumprir da maneira que se impõe ou praxe. São as regras de condutas, costumes, preceitos, normas e etiquetas.

2 – O casamento do ponto de vista dos homens, preocupa-se com as aparências e não com a essência. Aparência não diz como as coisas são em si mesmas. Ela é enganosa e ilusória. A aparência se preocupa com o externo e não com a essência. Mas temos que nos preocupara muito mais com a essência do que com as aparências, visto que Deus quer a essência, o que Ele pensa e quer do casamento e o que os homens pensam e querem.

3 – O casamento do ponto de vista dos homens, tudo vale. Vale ficar. Vale ir para a cama antes de casar. Vale adulterar. Vale trair. Vale largar. Vale desrespeitar. Vale divorciar. Vale trocar de homem e mulher quantas vezes quiser. Vale fazer bacanal em roda de amigos, onde rola de tudo, festa em que reina a devassidão e a orgia. E do ponto de vista de Deus vale o que? Nada disso vale!

4 – O casamento do ponto de vista dos homens, o consideram um ato instantâneo. O ato de satisfazer os desejos: Desejos sexuais. Desejo de aparecer bem na foto. Desejo de ser importante, ainda que seja só por um dia, por um hora ou até mesmo alguns minutos. Desejo de satisfazer as carências.

5 – O casamento do ponto de vista dos homens, só é importante no ato da cerimônia, depois seja o que Deus quiser. É o ato nupcial que não houve namoro e noivado para se conhecerem, entenderem o que pensam, gostam e querem na vida a dois. Não há planejamento para constituírem um lar e uma família. Quem casa assim o seu casamento acaba em um ato também. Assim como começa rápido, termina rápido também. Em um ato de uma briga, desentendimento, discussão ou até mesmo uma agressão. No ato quando vão a vista para colocar fim a vida a dois. Para esses, tudo o que envolve o relacionamento conjugal, torna-se secundário, de pouca importância e de pouco valor. Daí há um vazio de propósitos na vida dos envolvidos. Não preocupam-se com planejamento familiar e financeiro. Vivem pelos instintos e desejos.

6 – O casamento do ponto de vista dos homens, os sentimentos que predominam são o egoísmo, o orgulho, a revanche, o ciúme e o levar vantagem em tudo. Não pesam a questão: “ser feliz ou ter razão”. Consequentemente esse casamento não é durável, logo acaba.


Imagem do Google

Disponível em: https://www.google.com.br/search?newwindow=1&safe=active&biw=1366&bih=588&tbm=isch&sa=1&ei=

Acessada em: 15/11/2017

7 – Já o casamento do ponto de vista de Deus, ele começa em um processo: O gostarem um do outro, o namorarem, o se conhecerem, o noivarem, o amarem, o casarem para constituir uma família sólida, responsável e com propósito de envelhecerem juntos. Olhando uma pesquisa que o IBGE divulgou sobre casamentos, se constatou que cada vez mais os brasileiros casam mais velhos e cada vez mais se separam mais jovens. A média de idade para a separação caiu também. Bem como o número de separação dos casados é muito maior do que antes de 2011, se fica menos tempo casados.

8 – O casamento do ponto de vista de Deus, os envolvido entendem a importância de renunciar o EU para o bem estar dos dois. O pedir perdão e o perdoar um ao outro. A reconciliação. O respeito mútuo. O entenderem que os desejos têm que ser os desejos dos dois. O que prevalece não é a vontade egoísta e imposta sobre o outro, mas sim, a vontade do Senhor em primeiro lugar. Daí há disposição em renunciar caprichos quando é preciso renunciar. Até mesmo desejos e vontade que não afeta a personalidade e o caráter.

9 – O casamento do ponto de vista de Deus, é cheio de amor, de calor humano, de bondade, de mansidão, de ternura, de bons tratos, de boas maneiras, de compreensão, de cortesia, preocupação de fazer um ao outro feliz. Não há lugar para o individualismo e o eucentrismo.

10 - O casamento do ponto de vista de Deus, dura para sempre. A separação será somente pela fatalidade, com a morte. Esse é o casamento que queremos para nós? Se não é, ainda está em tempo de ser. Nunca é tarde para mudar.


Para concluir:

Queremos considerar os desejos dos pais dos noivos que veem o casamento do ponto de vista de Deus, pensamos nós que sejam assim, ao darem seus filhos em casamento. Cremos que os sogros, o que eles mais querem e esperam dos filhos envolvidos em um enlace matrimonial, é que amem um ao outro de paixão, de coração e que sejam fiéis um ao outro; que tenham olhos só um para o outro; que aja respeito, honra, cuidado, proteção, carinho, com paciência e cooperação mútua; que tratem com carinho, com paciência e com muito amor; que sejam companheiros em todos os momentos da vida; que se preocupem com a felicidade um do outro; que a estima seja grande um para com o outro; considere, depois de Deus, o cônjuge a pessoa mais importante em suas vidas; que a mulher seja a única na vida do homem e bem como, o homem seja o único na vida da mulher.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

FALE CONOSCO

Nome:


Email:


Assunto:


Mensagem:


PAZ VERDADEIRA SÓ EM JESUS! Jo. 14:27 "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou..."


VISITAS POR NAÇÕES